Protegendo sua aplicação – Mini Livro

Sempre dê o menor privilégio possível

Infelizmente quando diversos projetos são criados nunca é pensado em qual privilégio envolverá o projeto. Ao falar de privilégio no projeto, vamos falar de tudo desde a infra-estrutura até o comportamento da aplicação.

  • Privilégio de usuários: não tem por que um usuário já começar tendo acesso a todas as áreas do projeto e a recursos que ele nunca utilizará. O ideal é programar já sabendo ao certo o que o usuário pode ou não fazer/acessar. Uma vez que fique claro o papel de cada usuário dentro do projeto ficará mais fácil o QA (área de testes) realizar o executar os testes, podendo apontar assim falhas de segurança. Sempre deixe o usuário trabalhar apenas com o que ele precisa, ele nem precisa saber que determinado MENU existe no projeto caso não seja ele o responsável por administrar/acessar.
  • Privilégio do servidor: quando nosso servidor é executado ele é executado com o perfil que dispara seu início. Se você faz login com o usuário “jose.de.arimateia”, e ele tem permissão de root, essa aplicação será executada como root. É necessário mesmo que a aplicação rode como root? Imagine um projeto que recebe upload de fotos, mas um hacker envia um arquivo “*.sh”. Caso o projeto execute esse script o código do arquivo “*.sh” terá a permissão de fazer o que quiser, pois ele tem o privilégio de root. Tome cuidado com a permissão dada ao servidor, preferencialmente, ele deve ter o “poder” de alteração apenas dentro de usa pasta e nada mais. É uma má prática utilizar um perfil de root (super user) para executar o projeto.
  • Privilégio do banco de dados: assim como falado do privilégio do servidor, podemos falar com relação ao privilégio do banco de dados. Existe a necessidade de executar com privilégio root? Existem banco de dados que podem executar comandos no sistema operacional, e caso um hacker consiga realizar SQL Injection em seu projeto ele conseguiria fazer o banco de dados afetar o SO.
  • Privilégio do desenvolvedor: todo desenvolvedor precisa de acesso em produção? Todo desenvolvedor precisa ter privilégio de root em área sensíveis da empresa? Em meu primeiro emprego na capital eu apaguei uma pasta de trabalho de uma semana inteira da equipe. Eu precisaria ter esse tipo de acesso? E quantas histórias já são conhecidas de perda de dados em produção por algum erro de desenvolvedor? Outro detalhe importante é: a máquina do desenvolvedor é deve acessar produção? Empresas podem ter prejuízo com desenvolvedor que tem acesso direto a produção, pois sem saber um desenvolvedor pode disparar um teste que afeta produção. Eu creio que um desenvolvedor possa ter acesso em produção para que ele possa analisar dados, procurar problemas, etc; eu também creio que todo desenvolvedor poderia ter apenas acesso de leitura tanto para o log do servidor como para o banco de dados, se necessário.

Considerações finais:

  • Sempre tenha mapeado quais diretórios seu projeto precisa acessar. Se seu servidor recebe upload de arquivos, deixe que o servidor tenha permissão apenas do seu diretório e do diretório que receberá os arquivos. Um servidor com permissão exagerada poderia apagar arquivos de outros diretórios, escrever arquivos onde não se deve ou até mesmo alterar variáveis de projeto do servidor quando atacado com sucesso por um hacker.
  • Cuidado com senhas fracas. Imagine que seu servidor pode ter sempre alguém tentando acessar. Senhas fracas para o acesso ssh, acesso remoto ou até mesmo pelo próprio projeto poderá servir de porta de entrada para um atacante.
  • Cuidado com usuários muitos comuns. Quantos aqui já não viram um usuário chamado “admin” ou “administrator” em algum projeto? Ou então no sistema operacional? Tenha cuidado com nomes de usuários fracos e simples, isso será mais uma facilidade para um hacker disparar um DoS no projeto.

31 thoughts on “Protegendo sua aplicação – Mini Livro

  1. Achei muito positiva a iniciativa… acompanho o blog sempre que posso como maneira de estudo e sempre achei que isto é algo que falta na visão dos desenvolvedores e/ou analistas, porque impactam em outras áreas e medidas pequenas ajudam no que circunda uma aplicação.

    • Henrique, boa tarde.

      Realmente é difícil ver o assunto segurança em blogs ou foruns.

      Ultimamente li muito material sobre segurança e resolvi compartilhar. [=

      Obrigado pelo apoio! =D

  2. Parabéns pela iniciativa, Hebert!! Sempre tenho visto os posts e são sempre sobre um tema atual, interessante e este, um tema que pouco se ver falar. Vou terminar de ler, mas me parece bem interessante. Mais uma vez, parabéns!

  3. Parabéns por mais este excelente post!!!
    Mas eu gostaria de saber,e tenho certeza que outras pessoas que acompanham seu site também é quando teremos um livro da casa do codigo – EJB 3.2 Eficaz? rsss, já tenho a JSF Eficaz, JPA Eficaz.

    • Jivago, boa tarde.

      Muito obrigado pelo apoio, fico feliz por saber que estou ajudando.

      Quanto ao livro infelizmente não depende só de mim, mas do pessoal da casa do código também. [=

      Até mais.

  4. Parabéns Hebert :D os seus conteúdos são muito top :D

    E eu feliz aqui com meus 11k acessos do meu blog hauahuahua
    mas não crio nada, apenas posto soluções de exceptions/erros
    e tradução de alguns artigos que acho útil :D

    é isso ai… continue com o ótimo trabalho :D

    Abraços!

    • Gustavo, boa tarde.

      Obrigado pelo apoio.

      Eu vejo qualquer ajuda importante.

      Eu também fiquei feliz da vida quando fiz 10k de visitas algum tempo atrás.

      O importante é não desanimar. [=

      Até mais.

    • Jeferson, boa tarde.

      Obrigado pela visita, e desculpe a demora em responder. Estive muito ocupado nesse último mes.

  5. Parabéns pelo excelente post hebert, esse trabalho que você faz aqui no blog de compartilhar conhecimento é fantástico!

  6. Fiz um teste utilizando XSS, salvei como Teste
    E não funcionou =/

    Aqui não teve como por o link direito, mas eu fiz um link e não funcionou =I

    • Marcos, boa tarde.

      Nesse caso você não colocou a URL, por isso não apareceu direito. Acredite ou não, aqui para mim o Teste está parecendo diferente. [=

      Obrigado pela visita.

      • Boa Noite Hebert ,
        Aqui no blog ficou como link, mais na minha aplicação não ocorreu isso , ficou normal e até um script não rodou.
        Mas eu confio no que você diz e me atentarei com isso nas próximas vezes.

        Sensacional esse mini-livro, já li todos os livros e mini-livros seus[ tenho eles impressos para auto-ajuda].

        Impossível destacar qual o melhor, são todos sensacionais!

        Sou teu fã de carteirinha assinada tenho todas as coleções dos mini-livros e dos EFICAZES ( Jpa e JSF ), estou muito ansioso para o próximo lançamento do EFICAZ!.
        Deus continue te dando sabedoria, peço isso diariamente.
        Quero ser igual a você, com todo esse conhecimento algum dia, meu ídolo!

        Abraços, meus parabéns e até a próxima !

  7. Execelente mini livro, através dele estou podendo adquirir uma bela noção de segurança em aplicações que,particularmente, é uma área que me fascina e que é de suma importância, pois ataques especializados estão se tornando cada vez mais frequentes.

    Baixando o PDF para consulta posterior, mas voltarei a visitar esse site mais vezes!

  8. Não costumo comentar em blogs, mas nesse caso é preciso.
    Parabéns pelo trabalho cara, obrigado por compartilhar o seu conhecimento com a comunidade!

  9. Inacreditável pois quando aprendemos e lemos sobre o assunto de brechas de segurança e erros de programação, a primeira imagem que vem em mente é um estagiário criando seus primeiros códigos ou um estudante aprendendo sobre alguma linguagem e que saiu vendendo seus sites/projetos sem ter o conhecimento mínimo necessário, mas então vemos exemplos de erros e brechas da Microsoft, NASA, Yahoo, Nasdaq, governos entre tantos outros, é no mínimo cômico :D . Gostei muito deste seu mini livro, tem uma visão macro de muitos detalhes imprescindíveis para a sólida construção de um software. Parábens!

  10. Olá. Parabéns pelo blog. São ótimos os tópicos: atuais e revelantes. Já adicionei ao meu leitor de feeds.

    Fiquei com uma dúvida ao ler seu mini-livro e gostaria de ouvir sua opinião. E quanto ao uso de senhas e usernames em arquivos XML, como o persistente.xml do JPA? O que você recomenda? Criptografar o arquivo? E quanto à colocar senhas no próprio código fonte?

    Obrigado. Paulo.

    • Paulo, boa noite.

      Primeiro, me perde a demora em responder. Estou muito pegado no trabalho, para você ter idéia, estou te respondendo dele enquanto um deploy não termina.

      Honestamente não recomendo colocar senha nem no persistence.xml e nem no código. Para mim o melhor local para se colocar a senha é na configuração de pool de conexão que pode ficar dentro do servidor. Ao configurar o pool de conexão (ex.: tomcat, jboss, etc) você pode colocar a senha criptografada. A vantagem dessa abordagem é que você não precisará fazer um novo deploy da aplicação apenas por uma senha trocada.

      Espero ter ajudado, obrigado pela visita e pelo apoio.

  11. Outra dúvida: e quanto ao uso do atributo “rendered” do JSF para esconder informações importantes? Por exemplo, quando alguém esconde de um usuário comum, alguns itens de menu que só devem ser vistos por um usuário cadastrado no sistema.

    • Paulo, boa noite.

      Eu recomendo sempre esconder, mas ainda assim bloquear o acesso no código. Eu penso que se o usuário não deve ter acesso a informação, ela não deve nem ser enviada a tela.

      Espero ter ajudado. Obrigado pela visita.

      • Aí reside a minha dúvida: quando uso o “rendered”, os dados que não devem ser vistos são enviados na resposta da requisição e os mesmos são escondidos no browser do usuário (via JS, por exemplo)? Ou o JSF detecta, no lado do servidor, que os dados não devem ser enviados, altera a árvore de componentes e envia a resposta já omitindo esses dados? Obrigado.

        • Paulo, boa noite.

          Vou te dar uma resposta que você não esperava ouvir: “Por que você não faz o teste e coloca a resposta aqui? Esse teste é fácil de reproduzir. Após a página ser exibida, olhe o código fonte. Coloque em seu código códigos como System.out.println(“passou aqui”) para você saber por onde sua chamada passou”.

          Obrigado pela visita.

Leave a Comment